Práticas culturais, discursos, representações sobre o Dia Internacional da Mulher

Modelo vira bandeja de sushi para marcar Dia da Mulher

(extraído de O Globo, 9/3/2010,por sua vez comprado da BBC Brasil…)

Um restaurante japonês em Varsóvia, na Polônia, aproveitou o Dia Internacional da Mulher, na segunda-feira, para realizar uma comemoração inusitada: em vez de servir os quitutes sobre mulheres seminuas, como costumam fazer, os responsáveis pelo estabelecimento inverteram os papéis – usando um homem como bandeja.

E a maioria das funcionárias, de folga, prestigiou o evento.

“O gosto é bem melhor quando se come do corpo de um homem”, afirmou uma das clientes, que se identificou como Monika, antes de apontar para as partes íntimas do rapaz.

“Foi daqui que tirei o meu sushi.”

Aos poucos, os sushis foram desaparecendo e cada vez mais corpo ficou à mostra.

A organização do evento achou por bem retirar o modelo da mesa antes que os sushis acabassem.

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2010/03/09/modelo-vira-bandeja-de-sushi-para-marcar-dia-da-mulher-916021330.asp
____

http://www.youtube.com/v/-BuOPiTH-0U&hl=pt_BR&fs=1&

História do Dia Internacional da Mulher
(bem resumida!)

http://www.youtube.com/v/ZwTknzVvJCw&hl=pt_BR&fs=1&

Propaganda
(“homenagem da Volkswagen à sofisticada engenharia feminina” ?)

seleção de comentários do youtube

leitas79 (23 horas atrás)
O que eu fico de cara no Brasil é a quantidade de falsos moralistas. Que adoram rotular, prefiro observar “nas pistas” o que ocorre na PRÁTICA… Quem sai de FERRARI, faz o que quer na nigth! Só não pega uns 0,01% das mulheres, aquelas nerds ou milhonárias… Mas o resto…. DE FERRARI?! Para né… Pelo menos aqui no centro oeste eu tenho convicção do que digo, o cara pega até mulher de prefeito!!!!! KKKKKK

suchiellen (22 horas atrás)
uma homenagem às mulheres hetero. esqueceram de dizer isso!

Yunnemary (23 horas atrás)
É realmente incrível ver como os homens, mesmo diante de um comercial que deveria ser apenas uma homenagem, demonstram que ainda são, totalmente machistas. E concordo em gênero e grau, com o colega abaixo: se pensam assim, devem ter mulheres e carros que bem merecem.
Parabéns pelo comercial, que além de sensível, mostra que nem todos pensam que carro é passaporte pra qualquer sucesso.

zerubiocobra (1 dia atrás)
Quanta mintira … Qualquer mulher prefere o carro que a cartinhaa …. Qualquer mulher prefere que vc diga que ela fica gostosa naquele vestido do que “Nossa amor vc parece mais inteligente nessa roupa” …. E por ai vai …. Carro NOVO e o MODELO fazem sim a diferença quanto mais novo e mais cara mais bela a compania =P
#Fato …. O comercial mais mintiroso que ja vi….. Deveria ser do dia 1º de Abril…. Deveria não eh eles só erraram a data isso acontece….

elthonf (23 horas atrás)
FALOU TUDO!!! A VOLKS PENSA QUE ESTÁ EM QUAL PLANETA???

Artigo científico:

Dagmar Estermann Meyer
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Luis Henrique Sacchi dos Santos
Universidade Luterana do Brasil
Dora Lúcia de Oliveira
Universidade Federal do Rio Grande do Sul

‘Mulher sem-vergonha’ e ‘traidor responsável’: problematizando
representações de gênero em anúncios televisivos oficiais de
prevenção ao HIV/AIDS

Estudos Feministas, Florianópolis, 12(2): 51-76, maio-agosto/2004

Resumo: O artigo discute, a partir da ótica de agentes comunitários/as de saúde que trabalham no Programa de Saúde da Família na periferia de Porto Alegre/RS, anúncios televisivos que integraram campanhas oficiais de prevenção ao HIV/aids implementadas no Brasil (de 1994 a 2000) com o objetivo de contribuir para uma leitura crítica desse tipo de material, considerando as relações de gênero ali representadas. Analisam-se, sob o enfoque da análise cultural, discursos que instituem duas representações: a de ‘mulher sem-vergonha’ e a de ‘traidor responsável’.
Argumenta-se que representações como essas são produzidas, entre outras instâncias, pelo próprio conhecimento que dá suporte às campanhas de prevenção e que elas acabam
reiterando comportamentos e práticas de gênero e sexuais que pretendem transformar ou
romper.
Palavras-chave: educação em saúde, estudos culturais e de gênero, prevenção de HIV/aids, representações de gênero.

“O estudo realizado se inscreve nos campos dos Estudos Feministas e Culturais que vêm exercitando uma articulação crítica com a perspectiva pós-estruturalista de
Michel Foucault, considerando-se, aí, cinco pressupostos fundamentais. Um primeiro, que permite conceber cultura como um campo de luta e contestação em que se
produzem tanto os sentidos quanto os sujeitos que constituem os diferentes grupos sociais em sua singularidade. Um segundo, que enfatiza que a linguagem, em sentido lato, é o meio privilegiado pelo qual atribuímos sentido ao mundo e a nós mesmos e que, por isso, ela constitui um elemento central da organização social e da cultura. Um terceiro, que possibilita trabalhar com a noção de educação considerando-a como conjunto de processos pelos quais indivíduos são transformados ou se transformam
em sujeitos de uma cultura. Tornar-se sujeito de uma cultura envolve um complexo de forças e de processos de aprendizagem que, hoje, inclui com especial ênfase os
meios de comunicação de massa, e a TV ocupa, aí, um lugar de destaque. Um quarto, que permite ressignificar o conceito de representação, entendendo que ele engloba
práticas de significação lingüística e cultural e sistemas simbólicos através dos quais os significados (que permitem a mulheres e homens entender suas experiências e delimitar modos de ser e de viver) são construídos. E um quinto, que permite argumentar que estudos de gênero devem ir além da discussão de papéis e funções de mulher e de homem, para englobar a problematização de todas as formas de construção social, cultural e lingüística implicadas em processos que diferenciam mulheres de homens, incluindo aqueles processos que produzem, separam e distinguem corpos, dotando-os de sexo, gênero e sexualidade.”

(íntegra em: http://www.scielo.br/pdf/ref/v12n2/23960.pdf )

Anúncios

2 pensamentos sobre “Práticas culturais, discursos, representações sobre o Dia Internacional da Mulher

  1. após dizer "mintira" já é auto explicativa a opinião deste ser, ou então talvez reflita boa parte das mulheres que ele conheceubem… talvez eu que não seja mulher e anda não saiba

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s