Aulas Estruturalismo, Pós-Estruturalismo, Pós-Modernismo, Pós-Modernidade…

Como não estava muito fácil baixar o power point, coloquei em outro site para vocês fazerem o download, o qual trata das aulas sobre ” A realidade, linguagens e representações na visões estruturalista e pós-estruturalismo” e onde são discutidos os seguintes temas:

* Crítica da ciência moderna como (des)construção do próprio discurso científico e disciplinar;

* Novos paradigmas do pensamento científico e as noções de representações, práticas e apropriações nas Ciências Humanas;

* Mais (des)construção: Crítica contemporânea e pluralização das noções de realidade, cultura, identidade e subjetividade.

http://www.4shared.com/get/LE5waib7/estruturalismo_e_ps-estrutural.html

Tem-se a seguir artigos e sites que citam os Filósofos tratados na aula, e há um resuminho do que cada um trata para dar uma facilitada.

Resumo

Há a desconstrução de Derrida pode ser entendida como a conseqüência radical da pergunta sobre a diferença ontológica. Segundo ele, o projeto heideggeriano ainda fica relacionado com uma específica reificação hermenêutica. A nova diferença derridiana tem importantes conseqüências éticas e políticas. É o contexto onde fica possível pensar a democracia para além da metafísica.

http://serbal.pntic.mec.es/~cmunoz11/milovic54.pdf

Resumo

Landow acredita que teóricos como Derrida e Barthes poderiam ser colocados lado a lado com Ted Nelson e Andries Van Dam, os primeiros pós-estruturalistas e os segundos ligados à informática, como partilhando de um mesmo espaço onde são contestados paradigmas conceituais fundados em idéias como hierarquia e linearidade, os quais vem sendo substituídos por outros em que se sobrepõem as idéias de multilinearidade, nós, ligações (links) e redes.

http://www.unicamp.br/~hans/mh/intersec.html

Resumo

Há uma crítica ideológica a cultura de massa, Roland Barthes constrói uma semiologia do mito e nos diz que: a nossa sociedade é o campo privilegiado das significações míticas (Barthes) . A partir dessa posição, faz a releitura de textos e imagens (que para o semiólogo têm o mesmo valor, posto que ambos são signos) da cultura contemporânea como sendo um tipo particular de mensagem sempre carregada de uma ideologia oculta. Por isso, afirma que o mito é um sistema particular, visto que ele se constrói a partir de uma cadeia semiológica que existe já antes dele: é um sistema semiológico segundo (Barthes). Para esse autor, portanto, o cinema, a publicidade, as revistas, as artes, a cidade seriam veículos deste “sistema semiológico segundo” que irá ²piratear²os signos de outras linguagens para impor significados novos sempre carregados de ideologia.

http://www.lab-eduimagem.pro.br/frames/seminarios/pdf/e3majvar.pdf



Resumo

A finalidade deste ensaio é evidenciar como o inconsciente, descrito teoricamente por Freud na constituição da psicanálise, pode ser concebido como uma escritura e não segundo o modelo da linguagem falada, de acordo com a interpretação proposta por Derrida.

http://pepsic.bvs-psi.org.br/pdf/nh/v9n2/v9n2a03.pdf



Resumo

O artigo estuda a teoria acerca da pós-modernidade e visita alguns dos principais autores que escreveram sobre o tema. Partindo da oposição do período atual com o período moderno, o

estudo entende que vivemos tempos paradoxais, tempos de aparente ruptura, que se definem como a negação do que antes havia, mas que também conservam características da era anterior. O artigo discute a idéia de que hoje não temos mais modelos e discursos que sirvam a todos, mas a busca solitária de indivíduos em um mundo que se define pela funcionalidade e pelo consumo. Por fim, o estudo tenta entender como se sente este indivíduo pós-moderno, seus desafios e contradições.

http://www.eca.usp.br/caligrama/n_6/03_Adriano_Quadrado.pdf



Resumo

Este artigo pretende, apontar algumas contribuições da obra de Michel Foucault para a renovação da historiografia, com ênfase nos estudos que põem a política em primeiro plano.

http://www.espacoacademico.com.br/061/61araujo.htm

Resumo

Chama a atenção para algumas compatibilidades entre, por um lado, as genealogias foucauldianas do poder e, por outro, as análises conduzidas por Gilberto Freyre em Casa-Grande & Senzala. Percorrendo o campo de diferenças — certamente abissais — entre Freyre e Foucault.

http://www.revistafenix.pro.br/PDF8/ARTIGO6-Fabio.Lopes.da.Silva.pdf



Resumo

Trata-se de uma análise do comportamento do sujeito mediante ao meio e seus agentes externos.

http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/e-com/article/view/5580/5067



Resumo

Há uma reflexão teórica acerca da configuração da identidade cultural na pós-modernidade e relativa produção da alteridade. Com base numa concepção identitária não-essencialista,

refletimos o sujeito, a (re)produção, representação e (re)significação da identidade cultural na modernidade e na pós-modernidade buscando identificar os mecanismos de construção identitária, suas subjetividades e suas relações com a produção e a representação da alteridade, atentando de maneira um pouco mais específica para o fortalecimento do comunitarismo e da comunidade que se apresentam enquanto fontes de possibilidade de segurança nesse momento marcado pela incerteza. Procuramos ainda, evidenciar os problemas decorrentes da relação identificação/diferenciação e principalmente o caráter político-estratégico que perpassa essa relação.



http://www.unisc.br/spartacus/edicoes/012007/pacheco_joice_oliveira.pdf

Qualquer coisa me mandem um e-mail: myrian_rsouza@hotmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s