Jornal do Brasil deixará de circular em papel impresso após 119 anos de existência, mas… Brow Cow voltou!

Notícia chocante para uma historiadora, que ama livros, revistas e jornais impressos tanto quanto ama a cibercultura e a internet, logo abaixo. Mas, por outro lado, e em seguida, vejam o poder do cidadão consumidor e da sua interatividade na internet: o famoso achocolatado líquido Brown Cow, hit dos anos 80 do século passado, voltou a ser produzido por pressão e para deleite público! Choro ou dou risada? É pelo menos de se perguntar o que nós poderíamos fazer com nosso poder de pressão e interação por temas mais preocupantes ou urgentes, não? Mas vejam por que motivos tão afetivos, divertidos e aparentemente tão pouco importantes, o capetalismo consegue mobilizar nossos focos existenciais e agenciar nossas subjetividades, mobilizando milhares de pessoas e movimentando milhões…

Sobre o falecimento do JB:

O empresário Nelson Tanure afirmou ao iG que o “Jornal do Brasil” já fechou o dia que deixará de circular no formato impresso, após 119 anos de existência.

Será a partir de primeiro de setembro, quando o tradicional jornal carioca sairá apenas na internet (versão online).

Amanhã, em sua edição no papel, o “JB” irá publicar um comunicado esclarecendo os motivos que levaram o jornal a tomar a decisão de migrar para o meio eletrônico. O iG antecipou no dia 30 de junho a informação sobre a suspensão da versão impressa do JB.

Segundo o empresário, a decisão foi tomada, a partir de uma pesquisa na qual os leitores aprovam a ideia. O comunicado irá mostrar os resultados da pesquisa.

Tanure informou ainda que essa também é uma decisão que ele considera política e ecologicamente correta.

“Para cada 100 mil jornais que são impressos, 60 mil são vendidos e 40 mil são jogados fora”, diz Tanure. “É um desperdício fantástico”.

Tanure também não esconde o fato de nunca ter conseguido fechar no azul com o “JB”, desde que assumiu o jornal, no final de 2001.

O jornal, segundo ele, sempre deu prejuízo. Assim como a “Gazeta Mercantil”, que também foi de sua propriedade e acabou fechando.

“É muito difícil um jornal sério dar lucro, principalmente no Brasil”, diz Tanure.

Tanure afirmou que essa mudança no “JB” será seu último lance na mídia.

Vejam alguns comentários que contam experiências dos leitores:

Luiz:

boa noite eu trabalho desde 2002 distribuindo jornais de assinatura jornal na porta do cliente que que eu faço com todo pessoal distribuia o jornal do brasil os entregadores?

Jaime Baraçal Filho

TANURE PENSE BEM 119 ANOS DO JB NÃO PODE ACABAR EM 50 DIAS A MIDIA
IMPRESSA SEMPRE VAI EXISTIR,O LIVRO NUNCA VAI MORRER PARA A INTERNET.

Carlos:

Lamento que o dinheiro fale mais alto no fechamento de edições do nosso tradicional e importantissimo Jornal do Brasil

Leio o JB desde criança pois que meu avo adorava le-lo e hj conto com 51 anos e idade e ha pelo menos leio o JB faz 40 anos seguidos

Compreendo que a modernidade impoe sacrificios, rompimentos e transformações

Entendo que o editor chefe deveria compor com uma equipe brlhante meios de manter o JB impresso

Por exemplo: em vez de edita-lo dia a dia porque não editar de sextafeira ,sabados e domingos?

Outra sugestão: diminuir o preço do exemplar, e de quebra angariar novos leitores?

O prejuizo do jornal podera ser compensado com novas atividades sei la qualquer coisa neste sentido

Lamento mais outra vez a perda deste importante jornal nas bancas de jornal

lamentavel o lucro falar mais alto

Edson:

VAI DEIXAR MUITA SAUDADE.

Vitor:

FICO MUITO TRISTE EM SABER DISTO, DURANTE MINHA INFANCIA E JUVENTUDE,APESAR DE POUCO DINHEIRO MEU PAI SEMPRE COMPRAVA O “JB” PARA NÓS , AINDA NÃO TINHAMOS TELEVISÃO POREM LER O JORNAL DO BRASIL PARA MIM VALIA MAIS DO QUE ASSISTIR HOJE O “JORNAL NACIONAL”!!! NO DIA EM QUE MEU PAI NÃO O COMPRAVA, JA SABIAMOS NÃO TINHA DINHEIRO E ABATIA NOS UMA TREMENDA SOLIDÃO, TAMBEM ERA COMUM RELER MATERIAS ANTERIORES POIS OS JORNAIS SO IAM PARA O LIXO DEPOIS DE MUITO TEMPO!!! ERA EPOCA DO MILAGRE ECONOMICO ONDE O DELFIM NETO REPETIA SEMPRE QUE ERA PRECISO CRESCER O BOLO PARA REPARTI-LO, EPOCA DE PROTESTOS REPRESSÃO E GUERRILAS,ONDE O JB SEMPRE SOUBE REPORTAR,SEM SER SUBSERVIENTE AO GOVERNO MILITAR!!! QUE PENA ,A CADA DIA QUE SE PASSA VEMOS AS GRANDES EMPRESAS SE RENDEREM A ESTE MODELO NEOLIBERAL DESALMADO SEM HISTORIA, DO LUCRO A QUALQUER CUSTO!!! POR AI VAI “JB”,” VALE DO RIO DOCE”,”
VIAÇÃO COMETA” E TANTAS OUTRAS QUE MARCARAM O MUNDO EMPRESARIAL BRASILEIRO!!!

Marcos:

Acredito que a decisão tomada foi a melhor. apesar do saudosismo, a mídia impressa tem os dias contados, e, em breve, outros “grandes” jornais irão encerrar o ciclo do papel. É a lógica da modernidade, com mídias instantaneas disponíveis nos mais diversos aparatos eletrônicos, não existe razão para comprar edições em papel. Temos que nos preocupar sim, é com a qualidade da informação, independentemente do meio pela qual acessamos ela.

Mais informações a respeito e debates saudosos e acalorados em:

http://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2010/07/13/tanure-diz-que-%E2%80%9Cjb%E2%80%9D-deixa-de-circular-no-papel-a-partir-de-1%C2%BA-de-setembro/

Você pediu e o Brown Cow voltou!

13 de julho de 2010 | 17h19

Roberta Scrivano

Depois dos mais de 600 comentários de leitores neste blog e mais de 6 mil usuários da rede social Orkut pedindo a retomada da produção do achocolatado líquido Brown Cow, ele voltou. Na última semana desse mês o produto já estará nas gôndolas do WalMart. E, segundo a Nobel Foods, empresa responsável pela produção, em breve o Brown Cow também será vendido na rede Pão de Açúcar.

A decisão de retomar a produção é de Denis Rodrigues, diretor executivo da Nobel Foods, empresa que passou a ter direito de usar a marca por falta de uso da proprietária Hershey’s.

Nova imagem_1.JPG
A Nobel Foods é o novo braço de alimentos da Nobel Brasil (que fabrica apenas produtos de limpeza, como o Diabo Verde) e está sendo inaugurada com o Brown Cow e uma rede de chocolates batizada de Calibô.
A nova unidade fabril, localizada em Cajamar, na Região Metropolitana de São Paulo, exigiu investimentos de R$ 7 milhões. “Aplicar esse valor valeu a pena. Os consumidores querem o Brown Cow”, diz Rodrigues.

Ele conta que a intenção da Nobel Foods é produzir 1 milhão de unidades de Brown Cow até o fim desse ano. “Se houver demanda maior que isso, podemos ampliar a produção para até 2 milhões”, conta Rodrigues.
O custo do produto no supe
rmercado deve ficar entre R$ 5,50 e R$ 6,50. “Ele rende mais que os achocolatados tradicionais por conta do maior porcentual de cacau”, explica o diretor.

COMENTÁRIOS!!!!!!

#
13/07/2010 – 18:04
Enviado por: Petê Rissatti

Agora só falta a volta do 3Millon, da Ebicen. Alguém lembra?
responder este comentáriodenunciar abuso
#
13/07/2010 – 18:06
Enviado por: Victor Vicentini

Agora é torcer para sair a versão Diet do produto! Os diabéticos agradecem!
responder este comentáriodenunciar abuso
#
13/07/2010 – 18:29
Enviado por: flávia d.

Que emoção! ;~~

Podia voltar o Cremucho também!
responder este comentáriodenunciar abuso

*
13/07/2010 – 20:06
Enviado por: Antonio Chacon

SIM!!! Cremucho! Cremucho!

#
13/07/2010 – 19:24
Enviado por: Isadora

Não ACREDITOOOOO!!!!!!!!!
Nunca tomei nada igual na minha vida e está voltando!!!!??????
QUE MARAVILHA
responder este comentáriodenunciar abuso
#
13/07/2010 – 19:32
Enviado por: bruna Mendez

Eu quero o biscoto FOFY!!! muiiiito bom!
responder este comentáriodenunciar abuso
#
13/07/2010 – 19:33
Enviado por: Eu

Até parece que terá a mesma qualidade de antigamente. Vai ser uma bosta como tudo que é feito atualmente. pior ainda no brasil….
responder este comentáriodenunciar abuso

*
13/07/2010 – 20:18
Enviado por: Roberta Scrivano

Olha, eu provei e o sabor está bem parecido. Experimente e depois nos conte o que achou!

#
13/07/2010 – 19:35
Enviado por: Jack

Falta também o achocolatada Supligen!!
responder este comentáriodenunciar abuso

*
13/07/2010 – 20:15
Enviado por: Rafael

Supligen! APOIADO!

#
13/07/2010 – 19:41
Enviado por: Clara

Que marrravilha!
Que tal fazer um movimento pra que volte também o biscoito Oreo. Alô pessoal da Nabisco.
responder este comentáriodenunciar abuso
#
13/07/2010 – 19:43
Enviado por: velofrog

a ditadura tbm poderia voltar , pelo menos não teria tanto ladrão por ai nem tanta droga e violencia.
responder este comentáriodenunciar abuso
#
13/07/2010 – 19:47
Enviado por: Agnes Cruz de Souza

Volta literal à minha infância e adolescência. Eu adorava…
responder este comentáriodenunciar abuso
#
13/07/2010 – 19:49
Enviado por: kitkat

Pq não lançam o kitkat de novo? faz sucesso no mundo inteiro.. soh nesse país as pessoas preferem BIS. Muito errado isso…

Acompanhe essa discussão cultural e econômica surpreendente em:

http://blogs.estadao.com.br/no-azul/2010/07/13/apos-mais-de-600-pedidos-o-brown-cow-voltou/

Anúncios

Um pensamento sobre “Jornal do Brasil deixará de circular em papel impresso após 119 anos de existência, mas… Brow Cow voltou!

  1. Triste saber que um jornal tão conhecido ficará sem a versão impressa. O argumento que fala do "desperdício fantástico" não é tão relevante, uma vez que o advento dos computadores não diminui a impressão de documentos. Tenho dúvidas que esse argumento junto com o dado pelo Tanure são os reais motivos para o fim do jornal em papel.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s