É bom mesmo que a gente faça a democracia funcionar…

porque enquanto ficamos na moleza, só com boas idéias e intenções, mas sem mover uma palha para mudar pelo menos o nosso entorno, vejam o que os antidemocráticos fazem: trabalham duro e sem descanso pelo autoritarismo e pela intolerância! ACORDA CAMBADA!!!!!!!!!!

Homem com laços neonazistas lidera patrulha no Arizona

Grupo fortemente armado e com ideias radicais organiza patrulhas e vigílias a 80 quilômetros ao sul de Phoenix

AP | 29/07/2010 08:25 – Atualizada às 11:21

Grupos de Minutemen, uma nova onda de agentes da Patrulha de Fronteira e uma nova e rigorosa lei imigratória não são suficientes para um famoso neonazista que lidera uma milícia no deserto do Arizona.

Foto: © AP

Fortemente armado, Jason “J.T.” Ready lidera patrulha fronteira dos EUA

Jason “J.T.” Ready decidiu resolver a questão da imigração ilegal por conta própria, declarando guerra aos “narcoterroristas” e ficando de olho em imigrantes ilegais. Até agora, ele diz que sua patrulha encontrou apenas algumas pessoas cruzando a fronteira – elas receberam água e foram entregues à Patrulha da Fronteira. Certa vez, eles também encontraram um corpo em decomposição em fosso e alertaram as autoridades.

Mas as autoridades policiais locais estão inquietas, uma vez que o grupo de Ready é fortemente armado e se identifica com o Movimento Nacional Socialista, uma organização que acredita que apenas brancos, heterossexuais e não-judeus devem ser cidadãos americanos e que todos que não são brancos devem deixar o país “pacificamente ou pela força”. “Nós não vamos mais sentar e esperar pelo governo”, disse Ready. “Isso é o que nossos pais fundadores fizeram.”

O Arizona testemunhou um aumento no número de patrulhas civis nos últimos anos, incluindo o movimento Minutemen. Vários grupos patrulham o deserto a pé, a cavalo e em aviões e relatam atividades suspeitas para a Patrulha da Fronteira. Geralmente, eles não causam problemas para os agentes da lei.

Mas Ready, um ex-fuzileiro naval de 37 anos, é diferente. Ele e seus amigos são equipados com uniformes militares, coletes e máscaras de gás, e portam armas de fogo de alto calibre. Ready se sente ofendido com o termo “neonazista”, mas admite que se identifica com o Movimento Nacional Socialista. “Eles são nazistas explícitos”, disse Mark Potok do Projeto Inteligência do Centro de Direito Southern Poverty. “Essas são pessoas que usam suásticas em suas mangas.”

Ready é um reflexo da raiva sobre a imigração ilegal no Arizona. A governadora Jan Brewer assinou uma lei imigratória controversa em abril, que exige que polícia, enquanto age sobre outras leis, questione a situação legal de uma pessoa caso suspeitem de que ela esteja no país ilegalmente. Na quarta-feira, uma juíza bloqueou partes da lei enquanto as ações judiciais contra a medida correm nos tribunais federais.

Mas a iniciativa de Brewer de aprovar a lei não foi suficiente, segundo Ready, e ele não está satisfeito com a decisão do presidente Barack Obama de reforçar a segurança na fronteira.

O chefe da polícia do condado de Pnal, Paul Babeu, disse não ter havido qualquer incidente enquanto o grupo de Ready patrulha a sua jurisdição, que inclui vários corredores de tráfico de imigrantes. Mas Babeu está preocupado porque um grupo não treinado agindo sem a autoridade da lei poderia causar “problemas extremos” e colocar a si mesmo e aos outros em risco. “Eu não os estou convidando. E, na verdade, eu prefiro que não venham”, disse Babeu. “Especialmente aqueles que defendem o ódio ou a intolerância, como eles.”

As autoridades afirmam que as patrulhas de Ready podem atrapalhar o trabalho dos milhares de agentes de plantão todos os dias ao longo da fronteira, especialmente se eles tentarem fazer cumprir a lei ou fazer justiça com as próprias mãos. Ready disse que seu grupo patrulha o deserto a cerca de 80 km ao sul de Phoenix, em uma área onde um vice-xerife do condado de Pinal foi baleado por traficantes de drogas em abril.

Agentes do Bureau de Gerenciamento de Terras Mesa encontraram o grupo de Ready durante uma patrulha e eles não estavam violando nenhuma lei ou procuravam um confronto, disse o porta-voz Dennis Godfrey. As patrulhas têm ocorrido em terras públicas e os milicianos não têm restrições reais sobre suas armas por causa das leis frouxas que controlam o porte de armas no Arizona.

Foto: © AP

Armas e equipamentos militares usados pelo grupo de Jason “J.T.” Ready

A milícia é uma consequência de grupos de observação da fronteira que têm feito parte do debate sobre imigração no Arizona. As patrulhas no deserto do Arizona por organizações como esta atraíram a atenção nacional para a imigração ilegal em 2004 e 2005.

Esses grupos continuam a atuar no Arizona e os agentes policiais não costumam ter problemas com eles, desde que não queiram fazer justiça com as próprias mãos. Omar Candelaria, porta-voz da Patrulha da Fronteira, disse que a agência valoriza os olhos e ouvidos extras, mas prefere que a aplicação da lei seja deixada a cargo dos profissionais.

O ex-líder do grupo Minutemen Al Garza recentemente criou a Coalizão Patriota, que usa equipes de busca e exploradores para alertar a Patrulha da Fronteira e prestar primeiros socorros aos imigrantes ilegais.

Dependendo da disponibilidade de voluntários e da evidência encontrada pelos exploradores, as patrulhas podem acontecer várias vezes por semana ou uma única vez por mês, disse Garza. A operação envolve cerca
de 500 pessoas, e inclui um programa de vigilância de bairro, consultores legislativos e uma patrulha a cavalo, ele disse.

Tecnologia, em vez de mão de obra humana, é o foco da Patrulha da Fronteira Americana de Glenn Spencer. O grupo se baseia em seu rancho perto da fronteira. A operação envolve cinco homens e usa três aviões de pequeno porte para garantir que o grupo esteja presente e visível ao longo da linha internacional.

Spencer também usa câmeras controladas pela internet e trabalha com um grupo chamado Border Invasion Pics (Fotos de Invasão da Fronteira, em tradução livre), que publica fotos de pessoas que suspeitam atravessar a fronteira ilegalmente. “Sentar lá com um grupo de voluntários à procura de pessoas geralmente é um tremendo desperdício de tempo dessas pessoas”, disse Spencer. “E também é perigoso.”

Ready disse que planeja patrulhas ao longo do verão. “Se não querem o meu grupo lá, então há uma maneira fácil de enviar-nos para casa: a segurança da fronteira”, disse. “Só então vamos colocar as nossas armas de volta na prateleira e será o fim disso.”

Fonte:

http://ultimosegundo.ig.com.br/imigracaoeua/homem+com+lacos+neonazistas+lidera+patrulha+no+arizona/n1237731528159.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s